Concorrendo para uma bolsa de estudos na Europa? Isso poderá te ajudar.

Muitas vezes só de ser um bolsista de um curso já mostra que você possui um diferencial e, que alguém viu um grande potencial em você. Então, imagine-se como bolsista em um curso na Irlanda/Europa? Para contribuir com essa conquista, compartilho alguns pontos para você atingir esse sonho.

Planejamento: Por qual motivo esse item vem em 1º lugar? Bom, vamos pensar assim,  independente se a bolsa de estudos é por mérito, necessidade econômica ou perfil, ninguém nasce bolsista da noite para o dia.

Pode até ser que você possua um grande talento, boas notas, está no perfil desejado, mas se isso não estiver organizado para que seja bem apresentado para a instituição que sonha em estudar, tudo isso não vai ajudar em muita coisa. Com isso você será uma pessoa com muito potencial, mas sem nenhum direcionamento.

Você terá que iniciar algumas mudanças antes mesmo de viajar.

O que você tem que começar a pensar no seu planejamento?

Vida Pessoal: Se vai estudar na Europa, terá que praticar alguns desapegos, temporariamente ou não, você não estará na sua casa por algum tempo.

Pergunta importante para se fazer é: “Posso e quero me virar sozinho?”. Reflita antes de deixar o berço esplendido, se consegue ficar sem os seus pais por um tempo, sem o namorado(a), se esta preparado(a) para ficar longe do circulo de amizades ou do seu cão ou gato.

Pode parecer um ponto simples e indissociável, já que quando você bota os seus pés para fora de casa, vai deixar algo para trás. Mas esse tipo de questão leva tempo para resolver e vale a pena ser evidenciada.

Vida profissional: Outra vez falando de renúncia e desapegos… mas fazer o que se não tem jeito? Dependendo do tempo do curso e do tipo de trabalho que realiza, você terá que pensar em sair do seu atual ganha pão.

A parte boa dessa renúncia é que quando falamos de carreira, esse tipo de desapego pode ser um ótimo investimento em longo prazo. Quantos profissionais chegam ao fim de uma carreira sem ter mais horizontes para vislumbrar? Quantos chegam a um nível de promoção mediano, pois não falam um 2º idioma? Não falar Inglês pode bloquear as chances de ser promovido ou até mesmo ser contratado em uma futura empresa.

Vida Financeira: Mesmo que consiga a bolsa integral do curso (Acredite, isso é uma imensa ajuda), na maioria das vezes você terá que arcar com as despesas das passagens e custos de vida do local.  Se não nasceu em berço de ouro, não tem problema. Só se planeje para investir no lugar certo.  (Troco de celular VS Economizo para as passagens; Baladinha X Sonho…).

Aqui não existe fórmula certa, alguns planejam isso no Excel, aplicativos, papel ou até o bom e velho cofrinho, mas não tem como fugir da matemática básica:

                        Quanto eu ganho – Quanto eu gasto = Caminho para o meu sonho.

Faça as contas de trás para frente também, como por exemplo: Custo de vida mensal de 500.00 Euros por mês, se vou ficar 3 meses = 1,500.00 Euros.

Depois some as despesas de seguro saúde, passagens, viagens que pretende fazer aqui… e encontre a sua meta.

Sempre quando viajo tenho comigo uma cota máxima de gastos, sejam gastos diários, semanais ou mensais. Isso é importante pois você estará em outro ambiente, com outra moeda e outros tipos de gastos que não estava acostumado e dinheiro é uma coisa finita, simples assim.  Coloque um valor fácil de memorizar, para que consiga calcular até de cabeça os seus gastos. Já vi muita gente que na metade do seu intercâmbio fala: “Acabou o meu dinheiro, terei que voltar”. Não nade tanto para morrer na praia.

Pense que poderá ter gastos diferentes dos habituais pois a sua rotina será diferente, e se for morar por mais de um mês, acrescente um gasto/investimento inicial para pequenas coisas que tenha que adquirir para se adaptar nesse novo ambiente. Assista vídeos sobre o local, entenda as estações do ano e necessidades. Isso também ajuda a curtir a viagem antes que ela aconteça.

E resumindo… Esses 3 pontos de planejamento podem parecer simples para alguns, mas em processos seletivos para bolsas, alguns selecionadores irão avaliar a profundidade do seu planejamento. A ótica é a seguinte: A instituição de ensino quer fazer um investimento em um pessoa que não irá desperdiçar a oportunidade e para que isso não ocorra, elas irão querer os mais preparados e engajados. Ganhar uma bolsa em alguns casos é mais difícil de que passar no vestibular, portanto, arregace as mangas e se prepare.

E se a Instituição de ensino não está cobrando nada em dinheiro, não ache que tudo será de graça, pois ela irá cobrar o seu comprometimento e bom desempenho.

Para ter diferentes olhares, vou colocar alguns links que podem contribuir com o seu planejamento e construção do seu sonho de estudar na Europa:

– Custo de vida em Dublin/Irlanda: Clique no link para o vídeo no Youtube: “How much does it cost to live in Dublin?”

– Segundo e terceiro idiomas valem mais do que pós-graduação? : Link para vídeo da Exame.com :

– Vídeo muito bacana para quem busca bolsas para cursos superiores na Europa: “5 bolsas para quem deseja estudar na Europa”

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Concorrendo para uma bolsa de estudos na Europa? Isso poderá te ajudar.

Muitas vezes só de ser um bolsista de um curso já mostra que você possui um diferencial e, que alguém viu um grande potencial em você. Então, imagine-se como bolsista em um curso na Irlanda/Europa? Para contribuir com essa conquista, compartilho alguns pontos para você atingir esse sonho.

Planejamento: Por qual motivo esse item vem em 1º lugar? Bom, vamos pensar assim,  independente se a bolsa de estudos é por mérito, necessidade econômica ou perfil, ninguém nasce bolsista da noite para o dia.

Pode até ser que você possua um grande talento, boas notas, está no perfil desejado, mas se isso não estiver organizado para que seja bem apresentado para a instituição que sonha em estudar, tudo isso não vai ajudar em muita coisa. Com isso você será uma pessoa com muito potencial, mas sem nenhum direcionamento.

Você terá que iniciar algumas mudanças antes mesmo de viajar.

O que você tem que começar a pensar no seu planejamento?

Vida Pessoal: Se vai estudar na Europa, terá que praticar alguns desapegos, temporariamente ou não, você não estará na sua casa por algum tempo.

Pergunta importante para se fazer é: “Posso e quero me virar sozinho?”. Reflita antes de deixar o berço esplendido, se consegue ficar sem os seus pais por um tempo, sem o namorado(a), se esta preparado(a) para ficar longe do circulo de amizades ou do seu cão ou gato.

Pode parecer um ponto simples e indissociável, já que quando você bota os seus pés para fora de casa, vai deixar algo para trás. Mas esse tipo de questão leva tempo para resolver e vale a pena ser evidenciada.

Vida profissional: Outra vez falando de renúncia e desapegos… mas fazer o que se não tem jeito? Dependendo do tempo do curso e do tipo de trabalho que realiza, você terá que pensar em sair do seu atual ganha pão.

A parte boa dessa renúncia é que quando falamos de carreira, esse tipo de desapego pode ser um ótimo investimento em longo prazo. Quantos profissionais chegam ao fim de uma carreira sem ter mais horizontes para vislumbrar? Quantos chegam a um nível de promoção mediano, pois não falam um 2º idioma? Não falar Inglês pode bloquear as chances de ser promovido ou até mesmo ser contratado em uma futura empresa.

Vida Financeira: Mesmo que consiga a bolsa integral do curso (Acredite, isso é uma imensa ajuda), na maioria das vezes você terá que arcar com as despesas das passagens e custos de vida do local.  Se não nasceu em berço de ouro, não tem problema. Só se planeje para investir no lugar certo.  (Troco de celular VS Economizo para as passagens; Baladinha X Sonho…).

Aqui não existe fórmula certa, alguns planejam isso no Excel, aplicativos, papel ou até o bom e velho cofrinho, mas não tem como fugir da matemática básica:

                        Quanto eu ganho – Quanto eu gasto = Caminho para o meu sonho.

Faça as contas de trás para frente também, como por exemplo: Custo de vida mensal de 500.00 Euros por mês, se vou ficar 3 meses = 1,500.00 Euros.

Depois some as despesas de seguro saúde, passagens, viagens que pretende fazer aqui… e encontre a sua meta.

Sempre quando viajo tenho comigo uma cota máxima de gastos, sejam gastos diários, semanais ou mensais. Isso é importante pois você estará em outro ambiente, com outra moeda e outros tipos de gastos que não estava acostumado e dinheiro é uma coisa finita, simples assim.  Coloque um valor fácil de memorizar, para que consiga calcular até de cabeça os seus gastos. Já vi muita gente que na metade do seu intercâmbio fala: “Acabou o meu dinheiro, terei que voltar”. Não nade tanto para morrer na praia.

Pense que poderá ter gastos diferentes dos habituais pois a sua rotina será diferente, e se for morar por mais de um mês, acrescente um gasto/investimento inicial para pequenas coisas que tenha que adquirir para se adaptar nesse novo ambiente. Assista vídeos sobre o local, entenda as estações do ano e necessidades. Isso também ajuda a curtir a viagem antes que ela aconteça.

E resumindo… Esses 3 pontos de planejamento podem parecer simples para alguns, mas em processos seletivos para bolsas, alguns selecionadores irão avaliar a profundidade do seu planejamento. A ótica é a seguinte: A instituição de ensino quer fazer um investimento em um pessoa que não irá desperdiçar a oportunidade e para que isso não ocorra, elas irão querer os mais preparados e engajados. Ganhar uma bolsa em alguns casos é mais difícil de que passar no vestibular, portanto, arregace as mangas e se prepare.

E se a Instituição de ensino não está cobrando nada em dinheiro, não ache que tudo será de graça, pois ela irá cobrar o seu comprometimento e bom desempenho.

Para ter diferentes olhares, vou colocar alguns links que podem contribuir com o seu planejamento e construção do seu sonho de estudar na Europa:

– Custo de vida em Dublin/Irlanda: Clique no link para o vídeo no Youtube: “How much does it cost to live in Dublin?”

– Segundo e terceiro idiomas valem mais do que pós-graduação? : Link para vídeo da Exame.com :

– Vídeo muito bacana para quem busca bolsas para cursos superiores na Europa: “5 bolsas para quem deseja estudar na Europa”

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Concorrendo para uma bolsa de estudos na Europa? Isso poderá te ajudar.

Muitas vezes só de ser um bolsista de um curso já mostra que você possui um diferencial e, que alguém viu um grande potencial em você. Então, imagine-se como bolsista em um curso na Irlanda/Europa? Para contribuir com essa conquista, compartilho alguns pontos para você atingir esse sonho.

Planejamento: Por qual motivo esse item vem em 1º lugar? Bom, vamos pensar assim,  independente se a bolsa de estudos é por mérito, necessidade econômica ou perfil, ninguém nasce bolsista da noite para o dia.

Pode até ser que você possua um grande talento, boas notas, está no perfil desejado, mas se isso não estiver organizado para que seja bem apresentado para a instituição que sonha em estudar, tudo isso não vai ajudar em muita coisa. Com isso você será uma pessoa com muito potencial, mas sem nenhum direcionamento.

Você terá que iniciar algumas mudanças antes mesmo de viajar.

O que você tem que começar a pensar no seu planejamento?

Vida Pessoal: Se vai estudar na Europa, terá que praticar alguns desapegos, temporariamente ou não, você não estará na sua casa por algum tempo.

Pergunta importante para se fazer é: “Posso e quero me virar sozinho?”. Reflita antes de deixar o berço esplendido, se consegue ficar sem os seus pais por um tempo, sem o namorado(a), se esta preparado(a) para ficar longe do circulo de amizades ou do seu cão ou gato.

Pode parecer um ponto simples e indissociável, já que quando você bota os seus pés para fora de casa, vai deixar algo para trás. Mas esse tipo de questão leva tempo para resolver e vale a pena ser evidenciada.

Vida profissional: Outra vez falando de renúncia e desapegos… mas fazer o que se não tem jeito? Dependendo do tempo do curso e do tipo de trabalho que realiza, você terá que pensar em sair do seu atual ganha pão.

A parte boa dessa renúncia é que quando falamos de carreira, esse tipo de desapego pode ser um ótimo investimento em longo prazo. Quantos profissionais chegam ao fim de uma carreira sem ter mais horizontes para vislumbrar? Quantos chegam a um nível de promoção mediano, pois não falam um 2º idioma? Não falar Inglês pode bloquear as chances de ser promovido ou até mesmo ser contratado em uma futura empresa.

Vida Financeira: Mesmo que consiga a bolsa integral do curso (Acredite, isso é uma imensa ajuda), na maioria das vezes você terá que arcar com as despesas das passagens e custos de vida do local.  Se não nasceu em berço de ouro, não tem problema. Só se planeje para investir no lugar certo.  (Troco de celular VS Economizo para as passagens; Baladinha X Sonho…).

Aqui não existe fórmula certa, alguns planejam isso no Excel, aplicativos, papel ou até o bom e velho cofrinho, mas não tem como fugir da matemática básica:

                        Quanto eu ganho – Quanto eu gasto = Caminho para o meu sonho.

Faça as contas de trás para frente também, como por exemplo: Custo de vida mensal de 500.00 Euros por mês, se vou ficar 3 meses = 1,500.00 Euros.

Depois some as despesas de seguro saúde, passagens, viagens que pretende fazer aqui… e encontre a sua meta.

Sempre quando viajo tenho comigo uma cota máxima de gastos, sejam gastos diários, semanais ou mensais. Isso é importante pois você estará em outro ambiente, com outra moeda e outros tipos de gastos que não estava acostumado e dinheiro é uma coisa finita, simples assim.  Coloque um valor fácil de memorizar, para que consiga calcular até de cabeça os seus gastos. Já vi muita gente que na metade do seu intercâmbio fala: “Acabou o meu dinheiro, terei que voltar”. Não nade tanto para morrer na praia.

Pense que poderá ter gastos diferentes dos habituais pois a sua rotina será diferente, e se for morar por mais de um mês, acrescente um gasto/investimento inicial para pequenas coisas que tenha que adquirir para se adaptar nesse novo ambiente. Assista vídeos sobre o local, entenda as estações do ano e necessidades. Isso também ajuda a curtir a viagem antes que ela aconteça.

E resumindo… Esses 3 pontos de planejamento podem parecer simples para alguns, mas em processos seletivos para bolsas, alguns selecionadores irão avaliar a profundidade do seu planejamento. A ótica é a seguinte: A instituição de ensino quer fazer um investimento em um pessoa que não irá desperdiçar a oportunidade e para que isso não ocorra, elas irão querer os mais preparados e engajados. Ganhar uma bolsa em alguns casos é mais difícil de que passar no vestibular, portanto, arregace as mangas e se prepare.

E se a Instituição de ensino não está cobrando nada em dinheiro, não ache que tudo será de graça, pois ela irá cobrar o seu comprometimento e bom desempenho.

Para ter diferentes olhares, vou colocar alguns links que podem contribuir com o seu planejamento e construção do seu sonho de estudar na Europa:

– Custo de vida em Dublin/Irlanda: Clique no link para o vídeo no Youtube: “How much does it cost to live in Dublin?”

– Segundo e terceiro idiomas valem mais do que pós-graduação? : Link para vídeo da Exame.com :

– Vídeo muito bacana para quem busca bolsas para cursos superiores na Europa: “5 bolsas para quem deseja estudar na Europa”

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *